Escolher uma configuração para dispositivos móveis

Verifique se o site aparece nos resultado da pesquisa. Aqui você aprende a configurar seu site para vários dispositivos e ajuda os mecanismos de pesquisa a entendê-lo.

Três maneiras de implementar seu site para dispositivos móveis

Existem três técnicas principais para implementar um site que possa lidar com telas de visualização de todos os tipos e tamanhos. Veja um gráfico que compara os três métodos:

Configuração Meu URL continua igual? Meu HTML continua igual?
Web design responsivo Sim Sim
Exibição dinâmica Sim Não
URLs diferentes Não Não
  1. Web design responsivo: exibe o mesmo código HTML no mesmo URL, independentemente do dispositivo dos usuários (computador, tablet, smartphone, navegador não visual), mas pode renderizar a exibição de maneiras diferentes com base no tamanho da tela. O Google recomenda usar o Web design responsivo porque é o padrão mais fácil de implementar e manter.

  2. Exibição dinâmica: usa o mesmo URL, independentemente do dispositivo, mas gera outra versão de HTML para tipos de dispositivos diferentes com base no que o servidor sabe sobre o navegador do usuário.

  3. URLs diferentes: exibe códigos distintos para cada dispositivo e em URLs separados. Essa configuração tenta detectar o dispositivo do usuário e depois o redireciona à página correta por meio de redirecionamentos HTTP e do cabeçalho HTTP Vary.

O Google não favorece um formato de URL específico, contanto que as páginas e todos os recursos de página sejam acessíveis a todos os user agents do Googlebot.

Para saber mais sobre como selecionar uma configuração do site para dispositivos móveis e considerar os pontos positivos e negativos de cada opção, consulte Como criar sites para o cliente multitelas.

Pontos principais para dispositivos móveis

Como discutiremos mais tarde, existem diferentes configurações que podem ser usadas para tornar seu site compatível com dispositivos móveis. No entanto, existem pontos-chave que você precisa observar, independentemente da configuração escolhida.

  1. Sinalize para o Google quando uma página tiver formatação para dispositivos móveis ou se houver uma página equivalente com essa formatação. Assim, o Google exibe de maneira precisa o conteúdo para dispositivos móveis nos resultados da pesquisa.
  2. Mantenha os recursos rastreáveis. Não use o robots.txt para bloquear o acesso dos mecanismos de pesquisa aos arquivos essenciais no site que ajudam a renderizar a página, incluindo anúncios. Se o Googlebot não tiver acesso aos recursos da página, como CSS, JavaScript ou imagens, talvez não seja possível detectar que ela foi desenvolvida para exibir conteúdo e funcionar em navegadores de dispositivos móveis. Isso quer dizer que podemos não detectar que a página é "compatível com dispositivos móveis" e, por isso, não exibi-la corretamente aos usuários.
  3. Evite erros comuns que frustram os visitantes em dispositivos móveis, como vídeos que não podem ser exibidos. Um exemplo disso é quando uma parte significativa do conteúdo da página está em um vídeo em Flash. As páginas para dispositivos móveis que oferecem uma experiência insatisfatória ao usuário podem ser rebaixadas nas classificações ou exibidas com um aviso nos resultados da pesquisa em dispositivos móveis. Veja mais informações na seção "Erros comuns".

Entenda a diferença entre dispositivos

Dispositivo móvel: neste documento, o termo "dispositivo móvel" refere-se a smartphones, como dispositivos Android, iPhones ou Windows Phones. Os navegadores para dispositivos móveis são semelhantes aos para computadores, porque podem renderizar várias especificações do HTML5, apesar de terem uma tela menor e de, na maioria dos casos, a orientação padrão da tela ser vertical.

Tablets: consideramos tablets dispositivos com uma classe própria. Por isso, quando falamos de dispositivos móveis, geralmente não incluímos tablets na definição. Os tablets costumam ter telas maiores. Isso significa que, a menos que você ofereça conteúdo otimizado para esses dispositivos, supomos que os usuários esperam ver seu site da mesma maneira que no computador, e não como em um smartphone.

Telefones multimídia: são telefones com navegadores que renderizam páginas codificadas que atendem aos padrões XHTML e são compatíveis com a marcação HTML5 e com JavaScript/ECMAscript. No entanto, eles podem não ser compatíveis com algumas APIs de extensão no padrão HTML5. Em geral, isso descreve o navegador da maioria dos telefones compatíveis com conexão 3G que não são smartphones.

Feature phones: nesses dispositivos, os navegadores não podem renderizar páginas da Web normais para computador usando o HTML padrão. Isso inclui navegadores que renderizam somente cHTML (iMode), WML e XHTML-MP.