Visão geral

Com a API Google Pay for Passes, é possível interagir com usuários por meio de cartões de transporte público para ônibus, balsas, trens e muito mais. Os conceitos abordados neste guia ajudam a entender melhor os recursos dos cartões de transporte público.

Para implementar passagens de transporte público, use o método de solicitação JWT POST ou links JWT "skinny", que são métodos que inserem as classes e os objetos previamente.

TransitClasses e TransitObjects

Assim como outras indústrias na API Google Pay for Passes, os dados para cartões de transporte público são armazenados em duas estruturas de dados: TransitClass e TransitObject. Neste guia, explicamos como essas estruturas de dados são usadas para aceitar os cartões de transporte público.

TransitClass

TransitClass define o modelo usado para exibir qualquer objeto que esteja associado à classe. O modelo define quais campos serão exibidos em diferentes seções do cartão. Além disso, indica o logotipo e o nome do emissor, que são compartilhados entre os objetos.

Se dois tipos de cartão exigirem que dados diferentes sejam exibidos em uma ou mais seções, talvez seja útil criar dois TransitClasses separados. Por exemplo, um TransitClass para usar em qualquer cartão de uso único de ponto a ponto e outro TransitClass para usar em passaportes para a temporada.

TransitObject

Um TransitObject contém todos os dados que representam a viagem, a transportadora e os passageiros. Por exemplo, TransitObject contém a origem e o destino da viagem, o horário de partida, o número da transportadora, o nome do passageiro, o número do assento e muito mais. Alguns desses valores são compartilhados entre vários TransitObjects.

Os recursos contidos em um TransitObject são salvos no aplicativo Google Pay do usuário.

Países compatíveis

Para saber quais países aceitam o app Google Pay, consulte a lista de países compatíveis. Recomendamos limitar a exibição do botão Salvar no Google Pay de acordo com o local em que o usuário compra o bilhete.