Visão geral dos modelos

Os modelos organizam e armazenam dados no App Maker. Pense em um modelo como uma tabela de um banco de dados ou uma página de uma planilha. As planilhas organizam dados por colunas e os armazenam em linhas. Os modelos organizam dados por campos e os armazenam em coleções chamadas "registros".

Por exemplo, imagine que você trabalha para uma nova startup, a Weyland Corp, e quer criar um aplicativo de RH que rastreie nomes, CPFs e datas de nascimento dos funcionários. No App Maker, é possível criar um modelo Employee com quatro campos: Name, EmployeeID, Active e DateOfBirth. Você cria uma página no aplicativo em que o usuário pode adicionar um registro ao modelo para cada funcionário. Em uma planilha, os mesmos dados são armazenados em colunas e linhas:

NameEmployeeIDActiveDateOfBirth
Carter Burke2179426Falso30/03/2150
Ellen Ripley1612122Verdadeiro07/01/2092
Dois registros para o modelo Employee

Tipos de modelos

O App Maker é compatível com cinco tipos de modelos:

  • Google Cloud SQL: uma tabela tradicional do MySQL que pode ser compartilhada entre vários aplicativos.

    • Padrão: um administrador do G Suite pode configurar uma instância do Cloud SQL compartilhada entre aplicativos App Maker em uma organização. Se essa opção for ativada, um novo banco de dados será criado automaticamente quando você adicionar um modelo de dados do Cloud SQL a um aplicativo. Escolha essa opção se o aplicativo precisar de um banco de dados que não necessite configuração e seja fácil de usar.

    • Personalizado: quando o administrador configurar uma instância padrão do Cloud SQL, também será possível configurar a própria instância do Cloud SQL. Escolha essa opção quando:

      • seu aplicativo atende a muitos usuários ou armazena muitos dados;
      • o banco de dados precisa ser compartilhado com outros aplicativos;
      • você precisa gerenciar o banco de dados ou manter o controle da instância do Cloud SQL.
  • Calculado: um modelo "virtual" que usa scripts para produzir dados. Esse modelo permite processar dados de modelos ou outras origens. No entanto, é preciso que você se sinta confortável escrevendo scripts do servidor avançados para configurá-lo.

  • SQL calculado: uma consulta executada em um banco de dados do Google Cloud SQL.

  • Calculado do lado do cliente: um script de consulta do lado do cliente que é executado para buscar dados de maneira síncrona ou usa um callback para retornar resultados assíncronos.

  • Diretório: um modelo que recebe informações do diretório da sua organização, por exemplo, endereços de e-mail e números de telefone.

O editor de modelos

No editor de modelos, você define a estrutura e as configurações de seus modelos. O App Maker direciona você para o editor após a criação de um modelo. Para retornar ao editor de modelos, clique no nome do modelo na barra de navegação à esquerda. O editor tem até cinco guias, dependendo do tipo de modelo:

  • Campos: adicione novos campos a um modelo e edite as configurações de campo. Por exemplo, é possível adicionar um campo Email ao modelo Employee e defini-lo conforme necessário.

  • Origens de dados: defina como um modelo recupera e armazena dados quando consultado, incluindo o subconjunto de registros retornados. Por exemplo, é possível criar uma origem de dados para o modelo Employee que só retorna funcionários ativos quando consultada.

  • Eventos: crie scripts do lado do servidor que sejam executados quando o aplicativo exibir, criar ou excluir registros. Por exemplo, é possível escrever um script para o modelo Employee que preencha automaticamente o campo HireDate quando um usuário criar um novo registro de funcionário. Não disponível para modelos calculados do lado do cliente.

  • Relações: descreva as relações entre registros dentro de um modelo ou entre modelos. Por exemplo, é possível criar uma relação no modelo Employee entre um gerente e os respectivos subordinados diretos. Não disponível para modelos calculados.

  • Segurança: controle quais usuários podem criar, carregar, salvar ou excluir registros em um modelo. Por exemplo, é possível restringir o modelo Employee para que apenas os funcionários possam visualizar os registros nele.

Campo de exibição

Ao criar um modelo, é possível selecionar o campo de exibição padrão. O App Maker usa o campo de exibição padrão quando se refere a um registro no modelo. Esse campo é geralmente usado por widgets que selecionam um registro, como os de lista suspensa.

Por exemplo, é possível selecionar o campo Departamento em um modelo de Departamentos que contém registros de nomes de departamentos e seus locais. Ao configurar a origem de dados de um widget de lista suspensa para o modelo, as opções suspensas serão os valores do campo Departamento.

Se você não especificar um campo de exibição, o App Maker tentará encontrar um campo chamado "id" ou "name" para exibir. Se seu modelo não tiver um campo com nenhum desses nomes, o primeiro campo de string do modelo será usado.

Para definir um campo como campo de exibição padrão:

  1. Clique no modelo.
  2. Na guia Campos, clique no campo que você quer definir como campo de exibição.
  3. Clique em Definir como campo de exibição.

Para alterar o campo de exibição para outro campo, abra o campo e clique em Definir como campo de exibição. Apenas um campo pode ser definido como campo de exibição.

Para definir o campo de exibição de outra maneira, vincule a propriedade names de um widget ao campo que você quer exibir.